quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Confissão




















Entre as folhas e as ramagens frias
Pude ver teu corpo e tua alma vazia
Despir do nu na melancolia
No despertar da noite e no dormir do dia


Entre os teus olhos e os meus
Havia uma cinza nuvem de mágoas
Entre a terra e os céus ( seus )
Deus pariu as águas


Não esqueço da primeira vez que te vi
Teu rosto alegre e nativo
Procurando sempre um motivo
Pra sorrir e ser feliz


Também, não esqueço da última vez que te vi
Teu rosto "pueril" e cansado
O corpo servil e amarrotado
Pelos caminhos sem fim.


Henrique Rodrigues Soares

Um comentário:

REGGINA MOON disse...

Henrique,

Maravilhoso verso, como sempre!!!

Bonitas as duas visões que se teve de alguém ... realmente especial...Parabéns!

Beijos!!!

Reggina Moon

**Retire o selinho comemorativo de 500 Seguidores do Verso & Prosa!