terça-feira, 13 de julho de 2010

Mãe




















Como falar do que é humanamente divino?
Como falar do que nos é tão substancial?
De ovozigoto a menino
este cordão umbilical.


Como falar do meu destino?
Fitalos num olhar maternal
Uma voz suave de ensino
que fala em mim tão natural


Ainda te amo como menino
num amor febril, sobrenatural
No teu colo meu ninho
para ver teu sorriso angelical


Como começo ou como termino
Neste teu calor sem igual
Serei sempre um pequenino
E tu um ser celestial.


Henrique Rodrigues Soares
A minha querida Mãe Geusa Rodrigues Soares.

Um comentário:

REGGINA MOON disse...

Henrique,

Belíssima postagem e homenagem!!Comovente sempre tudo o que escreves!!Parabéns...sempre por essa alma de poeta, que tanto nos encanta!

Seja sempre o menino que tantas alegrias proporciona a sua amada mãe...tem coisa melhor?

Beijos e boa semana!!

Reggina Moon