sábado, 29 de maio de 2010

Nocturnos de Chopin

















Ouça bem os teus ouvidos
Radiante o som dos nocturnos
Chopin, iluminando o escuro
Das almas dos vivos


Teologicamente surpreendido
Pelas pegadas do fortúnio
Um verso claro e puro
É disto que preciso


Os desejos são encardidos
Empoeirados pelo infortúnio
Cheios de concertinas e muros
Com placas de avisos


Que tudo é proibido
E sonhar é confuso
E viver inseguro
E amar é perdido.


Henrique Rodrigues Soares

Um comentário:

REGGINA MOON disse...

Henrique,

Imagino ler esse Poema ao som de uma linda música clássica...voce consegue transmitir o som das palavras!

Tudo é inseguro, escuro...precisamos de mais luz e esperanças, músicas e violinos...

Um grande beijo e bom feriado!!

Reggina Moon