quinta-feira, 8 de abril de 2010

Fotógrafo















Aquilo que chamam de mato sem graça
ele chama de Natureza
Aquilo que chamam de chão
ele chama de Raízes
O cantar dos pássaros posso quase ouvir
no instante clicado
Sinto as folhas mexendo pelo vento
Sinto o perfume das flores desabrocharem
O foco da imagem que passa em minhas retinas
ele grava com seus olhos máquinas
nos dando poesia para sempre.


A poesia pode ser escrita
A poesia pode ser fotografada
A poesia deve ser lida
A poesia deve ser contemplada


Entre a imaginação e a realidade
Os bichos, as plantas e os humanos
Os atos e os fatos
Nas florestas de tintas.


Henrique Rodrigues Soares
Ao meu amigo Antônio Carlos Januário - Um poeta das imagens.

Um comentário:

REGGINA MOON disse...

Henrique,

Mais um belo Poema!!Parabéns Poeta!!

O acompanho sempre....

Beijos e ótimo dia!!

Reggina Moon